Negócio do ‘Café Arcádia’ concluído. Autarquia indemniza antigo inquilino em 40 mil euros

Ao final de algumas semanas de negociação a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis conseguiu chegar a acordo com os antigos inquilinos do antigo Café Arcádia, um espaço fundamental para a nova Estação Multimodal de Transportes.

0

Na altura em que a autarquia apresentou o projeto para o novo Mercado Municipal e Estação Multimodal de Transportes, o negócio do espaço vulgarmente conhecido como Café Arcádia ainda não estava concluído, tal como o presidente da autarquia oliveirense, Joaquim Jorge, tinha assumido em declarações à Azemeis.NET, tal como pode ler aqui. O espaço onde funcionou um dia o mítico Café Arcádia é fundamental para as obras que irão iniciar em breve, uma vez que será ali instalada a sala de espera e zona de bilhética da futura Estação Multimodal de Transportes, tal como já lhe contamos aqui.

O negócio foi, entretanto, resolvido nas últimas semanas. Na última reunião de executivo camarário foi submetido à aprovação dos vereadores a denúncia do contrato de arrendamento com os Herdeiros Oliveira Bastos, Lda. As negociações chegaram a bom porto depois da autarquia comprometer-se a pagar uma indemnização no valor de 40 mil euros.

“Estamos a falar de um contrato com várias dezenas de anos, e digamos que este espaço é fundamental para as obras que pretendemos realizar no equipamento, nomeadamente do espaço da Estação Multimodal de Transportes. Do processo negocial que mantivemos com o inquilino resulta de um valor de indemnização de 40 mil euros para que o espaço seja imediatamente disponibilizado pelo inquilino”, revelou o presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, Joaquim Jorge.

Relatório da Câmara Municipal avalia espaço em 112 mil euros

Antes de partir para esta negociação de indemnização aos Herdeiros Oliveira Bastos, Lda a autarquia pediu uma avaliação daquele espaço. No relatório entregue ao executivo camarário constata-se que os técnicos avaliaram o antigo Café Arcádia em 112 mil euros, tendo em conta o espaço e as obras ali realizadas.

O negócio foi feito por menos de metade da avaliação técnicas, mas o presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis sublinha que a base das negociações partiram pelo valor pedido pelo inquilino e não pelo relatório de avaliação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here