Jazz de borla no lago do Parque de La Salette

Por estar integrada na Grande Área Metropolitana do Porto, Oliveira de Azeméis recebe Sons do Património, uma iniciativa que uma propõe a música como veículo de aproximação das pessoas ao seu património. Manuel Linhares actuará no palco do lago do Parque de La Salette.

0

À semelhança do ano transato – Ano Europeu do Património Cultural, também neste ano de 2019 vários espaços históricos dos municípios que integram a Área Metropolitana do Porto (AMP) serão palco de mais uma série de concertos a ter lugar, de 26 a 29 de setembro com o programa Sons no Património.

Museus, praças, igrejas, parques, mercados e outros espaços simbólicos da nossa herança comum vão transformar-se sob o efeito da música, para proporcionarem experiências novas a quem sempre os conheceu e a quem ainda os vai descobrir.

As vibrações dos Sons no Património estarão em Oliveira de Azeméis no dia 27 de setembro pela voz de Manuel Linhares. O jovem cantor de jazz actuará no palco do lago do Parque de La Salette pelas 21.30H, o que promete uma noite de emoções.

Veja no vídeo que se segue o que pode esperar deste jovem cantor

O que são os Sons no Património?

Sons no Património é um evento em rede promovido pela Área Metropolitana do Porto que regressa em 2019 para a sua segunda edição, propondo a música como veículo de aproximação das pessoas ao património e de celebração dos lugares patrimoniais do território ao longo de quatro dias, entre os dias 26 e 29 de setembro. A reedição desta proposta materializada primeiro em 2018 floresce da vontade da Área Metropolitana do Porto em valorizar o património dos dezassete municípios que a integram, sustentando apostas recentes no setor cultural, tais como a criação da Plataforma PIN e disponibilização dos Roteiros do Património Cultural da AMP e do Mapa do Património Cultural Material e Imaterial da AMP. À celebração da riqueza inesgotável do mosaico patrimonial da região corresponde um programa artístico eclético, pensado e adequado a cada lugar, instigador de novos contactos, leituras e experiências dos territórios e gerador de convivências naturais e outras menos prováveis. Entre profano e religioso, contemporâneo e erudito, jazz e tradicional blues e fado, eletrónico e acústico, é em boa medida pela música que nos reencontramos com o património. São quinze os projetos artísticos que integram um programa reforçado em 2019, que conta com nomes já queridos dos portugueses, bem como outros que têm vindo a conquistar espaços cimeiros no país e no mundo.Não faltam por isso motivos para celebrar o património cultural da Área Metropolitana do Porto nos dezassete momentos propostos, num evento que
é também de entrada gratuita e aberto a todos.

Programa completo Sons no Património

A imagem pode conter: texto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here